1. Como pode ser definida a coluna vertebral?
É o conjunto de vértebras articuladas, sobrepostas umas às outras na parte dorsal do tronco que formam o eixo de sustentação do corpo (tronco), do crânio ao cóccix e também o envoltório protetor da medula espinhal.

2. Qual o tamanho da coluna vertebral no adulto?
Mede, aproximadamente, 60 a 70 cm de comprimento (cerca de 2/5 da altura total do corpo).

3. Quantos ossos compõem a coluna vertebral e como esta é dividida?
A coluna compreende um total de 26 ossos, dos quais 7 são vértebras cervicais, 12 são torácicas e 5 lombares, havendo ainda um sacro e um cóccix.

4. O que é o sacro?
O sacro é um osso grande, único e mediano, de forma triangular e ligeiramente encurvada (de convexidade posterior), resultado da fusão das 5 vértebras sacrais. Articula-se, de cada lado, com a porção ilíaca da pelve, superiormente com a 5ª vértebra lombar e, inferiormente, com o cóccix. Nele está contida a porção terminal do canal vertebral (nesse nível, também chamado de canal sacral). Na face anterior ou pélvica (côncava), apresenta 4 orifícios de cada lado, por onde saem os ramos anteriores dos nervos sacrais. Na face posterior (convexa), os orifícios dão saída aos ramos posteriores desses mesmos nervos.

5. O que é o cóccix?
É um osso pequeno, situado ligeiramente acima e posteriormente ao ânus e que representa o extremo distal da coluna vertebral, formado pela fusão de 4 ossículos, segmentos ou vértebras coccigianas (algumas vezes 5 e, ocasionalmente 3). À semelhança do sacro, tem forma aproximada de uma cunha e possui uma base, um ápice, face pelviana e dorsal e duas bordas laterais. O 1º segmento é soldado parcial ou totalmente com o sacro. O 2º pode mover-se em relação ao primeiro e conserva este movimento mesmo que o 1º esteja soldado com o sacro. O 3º e 4º segmentos são bem rudimentares.

6. As vértebras são todas iguais?
Não. Da cabeça à pelve, a coluna suporta progressivamente mais peso. As vértebras tornam-se, pouco a pouco, maiores até o sacro e, a partir daí, vão decrescendo em tamanho. Cada vértebra acima da última lombar é mais alta do que a imediatamente acima dela. As vértebras de cada grupo (cervical, dorsal, lombar) também são dotadas de características individuais.

7. Particularizando, quais as características mais chamativas das vértebras cervicais?
São as que se situam entre o crânio e o tórax. Como características diferenciais apresentam um forame em cada processo transverso (um em cada lado). Este forame (forame transverso) dá passagem à artéria vertebral (exceto a 7ª vértebra cervical), às veias vertebrais e a um plexo simpático. A 1ª vértebra é chamada atlas e o crânio repousa sobre ela (tem esse nome em alusão a Atlas, personagem mitológico que sustentava o céu). A 2ª é chamada axis porque apresenta um eixo em torno do qual o atlas se move, com o crânio (as duas primeiras são vértebras de transição enquanto que as outras, da 3ª até a 6ª, são tidas como típicas).

8. Como eixo do corpo, como a coluna consegue ser rígida e elástica ao mesmo tempo?
É flexível em virtude de ser constituída de muitas partes ligeiramente móveis, as vértebras. Sua estabilidade decorre, em grande parte, dos ligamentos e músculos. No entanto, parte da estabilidade, dependeria da forma da coluna e das partes componentes. Kapandji expôs uma idéia interessante de como conciliar dois objetivos mecânicos contraditórios: a rigidez e a elasticidade. Segundo ele, a coluna vertebral poderia fazê-lo graças a sua estrutura fixada, em seu conjunto, semelhante a um mastro de navio. O mastro (coluna) estaria apoiado sobre a pelve, elevar-se-ia até a cabeça e, ao nível dos ombros, suportaria uma grande verga transversal: a cintura escapular. Em todos os níveis existiriam tensores ligamentares e musculares, dispostos a maneira de cordames, isto é, ligando o próprio mastro à sua base de implantação, a pelve. O segundo sistema de cordame encontrar-se-ia disposto sobre a cintura escapular formando um losango com o grande eixo vertical e o pequeno eixo transversal. Este conjunto daria condições a que os tensores musculares ajustassem automaticamente a sua tensão, restabelecendo o equilíbrio (por ação do SNC). A elasticidade é devida, como visto acima, à sua constituição por múltiplas peças sobrepostas, ligadas umas às outras por elementos ligamentares e musculares. A estrutura, dessa maneira, poderia deformar-se continuando rígida sob a influência dos tensores musculares. Como um exemplo prático, poderíamos citar o fato de que tanto faz o indivíduo estar em pé, apoiado sobre os dois pés ou em um pé somente ou, ainda, “andar” apoiado sobre as mãos, a coluna tem flexibilidade e, do mesmo modo, rigidez (lembrando a imagem náutica, as vergas – pelve e cintura escapular - são simétricas, assim como os cordames, que se cruzam).

9. Quais as curvaturas normais da coluna vertebral?
A coluna vertebral adulta, no plano sagital (facilmente visíveis em radiografias de perfil), apresenta 4 curvaturas: cervical, torácica, lombar e sacral. As curvaturas torácica e sacral são chamadas primárias, porque estão na mesma direção da curvatura da coluna vertebral do feto. As curvas secundárias, cervical e lombar, aparecem antes do nascimento e são devidas, principalmente, a diferenças de espessura entre as partes anterior e posterior dos discos intervertebrais, mais alta anteriormente (as primárias são devidas a diferenças em altura entre a face anterior e posterior dos corpos das vértebras, mais alta posteriormente). A curva cervical torna-se proeminente à medida que a criança começa a sustentar e a girar a cabeça e ambas as curvas, cervical e lombar, vão se tornando mais evidentes com a aquisição da postura ereta (vertical). A lombar (lordose) é também mais proeminente na mulher.

Todos os direitos e imagens reservados - Clínica de fraturas Zona Norte | Design by Midhaus