1. O que é o cóccix?
É um osso pequeno, situado ligeiramente acima e posteriormente ao ânus e que representa o extremo distal da coluna vertebral, formado pela fusão de 4 ossículos, segmentos ou vértebras coccigianas (algumas vezes 5 e, ocasionalmente 3). À semelhança do sacro, tem forma aproximada de uma cunha e possui uma base, um ápice, face pelviana e dorsal e duas bordas laterais. O 1º segmento é soldado parcial ou totalmente com o sacro. O 2º pode mover-se em relação ao primeiro e conserva este movimento mesmo que o 1º esteja soldado com o sacro. O 3º e 4º segmentos são bem rudimentares.

2. Quais os músculos que se inserem no cóccix?
São 4: o glúteo máximo posteriormente, o coccígeo anteriormente, o esfíncter do ânus no ápice e o elevador do ânus na face posterior do ápice.

3. Qual a importância da mobilidade do cóccix?
Tem importância durante o trabalho de parto pois amplia o canal pélvico.

4. O que é a coccigodinia?
O cóccix pode ser a sede de um estado doloroso conhecido por coccigodinia que, freqüentemente, sucede a um traumatismo (fratura ou contusão) e é mais comum em mulheres.

5. Porque a coccigodinia e as fraturas do cóccix são mais comuns em mulheres?
Provavelmente por causa da maior largura da pelve feminina, o cóccix se situa relativamente mais baixo que no homem e, portanto, mais exposto e mais susceptível a traumas.

6. Além das quedas que podem ser a causa de fraturas do cóccix, existem outras causas?
Sim. Podem também ocorrer durante manobras obstétricas e ginecológicas.

7. Quais são os sintomas mais evidentes das fraturas do cóccix?
dor no local ao sentar e ao defecar (devido ao espasmo dos músculos anucoccígeos, principalmente o m. elevador do ânus);
dor e sensibilidade agudas situadas sobre a área do cóccix;
em traumas recentes, edema e equimose na região sacral;
pode haver saliência e sensibilidade na junção sacrococcígea;
dor ao passar da posição sentada para a posição em pé (pelo fato das fibras inferiores do m. glúteo máximo estarem inseridas no cóccix);

8. Qual é o tratamento para as fraturas do cóccix?
O tratamento é basicamente clínico:
medicação – antiinflamatórios não hormonais e analgésicos;
repouso no leito por, aproximadamente, uma semana, sendo o suficiente para o alívio dos sintomas;
enfaixar as nádegas (alguns pacientes sentem alívio; em outros, pode agravar a dor);
sentar em “bóias” (de espuma, de inflar ou de água), enquanto perdurarem os sintomas;
alguns pacientes encontram melhor posição para se sentar apoiando-se em uma das nádegas ou inclinando o corpo pata trás e apoiando-se sobre o sacro; outros preferem sentar-se em superfície dura (nesse caso, apoiando-se sobre ambas as tuberosidades isquiáticas);
“banhos de assento” ajudam no sentido de aliviar o espasmo muscular;
nos casos em que o paciente seja obstipado, medicação para amolecimento das fezes.

9. Pode haver necessidade de cirurgia?
Em alguns casos poderia ser feita a redução incruenta, mas existe tendência dos fragmentos voltarem a desviar por ação dos músculos inseridos no cóccix. Nos casos onde a dor se torne crônica e insuportável poderia ser feita a coccigectomia (remoção cirúrgica do cóccix); v. -ectomia.


Todos os direitos e imagens reservados - Clínica de fraturas Zona Norte | Design by Midhaus