GLOSSÁRIO DE TERMOS ENCONTRADOS NESSE SITE

 

Se você quiser ver todo o glossário em uma página simplificada para impressão, clique aqui.

 

a | b | c | d | e | f | g | h | i | j | k | l |m | n | o | p | q | r | s | t | u | v | w | x y | z 

a

abdução: genericamente, ato de afastar da linha média (ou plano mediano). Movimento aplicável para as articulações do quadril, ombro, dedos, polegar e pé. A linha de referência é o plano mediano para as articulações proximais e a linha central do membro para as articulações distais (por exemplo, os dedos do pé e da mão).

abduzir: afastar (membro ou parte de membro) do plano mediano do corpo humano (v. abdução para detalhes).

abscesso: acumulação de pus numa cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em conseqüência de processo inflamatório.

acetilcolina: em bioquímica: molécula neurotransmissora que atua na passagem do impulso nervoso dos neurônios para as células musculares.

acetilcolina: molécula neurotransmissora que atua na passagem do impulso nervoso dos neurônios para as células musculares.
acidente vascular cerebral (AVC): disfunção neurológica aguda de origem vascular, de início relativamente súbito, com sinais focais ou, algumas vezes, globais de alteração da função cerebral, durando mais de 24 horas.

acidófilo: que fixa corantes ácidos (diz-se de organismo ou de qualquer estrutura); acidofílico; que necessita de um meio ácido para viver ou para desenvolver-se melhor (diz-se de organismo); contrário a basófilo; v. eosinófilo.

aclorofilado: que não apresenta clorofila (diz-se de folha, vegetal etc.); aclorofilo.

acromi(o): elemento de composição. Antepositivo, do grego akrômion,ou ‘parte superior do ombro, cume da espádua’; ocorre em cultismos da área da medicina, do séc. XIX em diante: acromial, acrômio, acromioclavicular, acromiocoracóideo/acromiocoracoídeo, acromiocoracoidiano, acromiospinal, acromiotorácico, acromiumeral.

acrômio: em anatomia, nome de processo ósseo originário da escápula, situado medialmente à cabeça umeral e, mais ou menos, um dedo abaixo da clavícula. É ponto de inserção (origem) do m. deltóide. É usado para medir, clinicamente, o braço – da extremidade do acrômio ao epicôndilo lateral do úmero.

actina: proteína presente nas miofibrilas citoplasmáticas e essencial para a contração muscular.

aderência: em microbiologia: processo pelo qual as bactérias ligam-se à superfície das células hospedeiras; em histologia: mecanismo pelo qual as células ligam-se umas às outras por meio de moléculas de adesão da membrana celular; em patologia: faixa de exsudato fibrinoso mais ou menos organizado que se forma na superfície de uma serosa, unindo estruturas vizinhas (p. ex.: aderência peritoneal, aderência articular).

adiposo: que contém ou é formado de gordura (diz-se de tecido).

adrenalina: hormônio (C9H13NO3) secretado pela medula das glândulas supra-renais (v. glândula adrenal) e fundamental no mecanismo da elevação da pressão sangüínea; importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos, é usado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais, e como relaxante muscular na asma brônquica; epinefrina, adnefrina.

adução: genericamente, movimento que tende a aproximar (membro ou parte de membro) do plano mediano do corpo humano. Movimento aplicável para as articulações do quadril, ombro, dedos, polegar e pé. A linha de referência é o plano mediano para as articulações proximais e a linha central do membro para as articulações distais (por exemplo, os dedos do pé e da mão).

aduzir: aproximar (membro ou parte de membro) do plano mediano do corpo humano.

adventícia: a túnica externa de um vaso e de algumas estruturas tubulares como o esôfago e o reto.

aeróbia: v. aeróbio.

aeróbio: que vive no ar; v. capacidade aeróbia.

afecção: em medicina - qualquer alteração patológica do corpo; em psicologia - estado de morbidez; anormalidade psíquica.

aferente: que conduz um impulso a um centro nervoso (diz-se de fibra nervosa sensível); que leva da periferia para um órgão ou até a parte interior (diz-se de vaso ou nervo).

afeto: em psicologia - sentimento ou emoção em diferentes graus de complexidade, p.ex., amizade, amor, ira, paixão, etc.; estado, limitado no tempo, provocado por estímulos externos ou por representações, acompanhado de certo grau de tensão e composto de sentimentos particulares; descarga emocional breve, violenta, disparada por impressões externas, por representações ou por uma estase afetiva, que se acompanha de sinais claros e visíveis de excitação, e freqüentemente de uma diminuição do controle do comportamento (p.ex., cólera cega); dinâmica ou qualidade essencial de uma emoção; energia de uma emoção; um dos três tipos de função mental (afeto, cognição e volição); em psicanálise - expressão qualitativa da quantidade de energia das pulsões (v. pulsão) e das suas variações (para Freud, os afetos seriam reproduções de acontecimentos antigos de importância vital e, eventualmente, pré-individuais.

agar-ágar: mais conhecido com agar.

albumina: classe de proteínas simples, dotadas de nítido caráter ácido e que, por hidrólise, liberam apenas aminoácidos. São solúveis na água, precipitáveis pelos ácidos minerais e coaguláveis pelo calor, em soluções ácidas ou alcalinas. Segundo a origem, distinguem-se a ovoalbumina, a lactoalbumina, a soroalbumina, etc.

alcalino: em química – o mesmo que básico.

alcalóide: classe de substâncias orgânicas nitrogenadas com características básicas; álcali natural (encontradas em plantas vasculares e em alguns fungos, também podem ser obtidas por síntese, muitas possuem ação terapêutica, p.ex., a morfina, a estricnina, a atropina, etc).

alga: em botânica - divisão do reino vegetal que reúne plantas eucariotas e procariotas, que apresentam, além de clorofila, outros pigmentos assimiladores (o que determina sua coloração diversa), pouca ou nenhuma diferenciação de tecidos ou órgãos, grande variedade de formas e tamanhos (desde unicelulares, coloniais e filamentosas até formas parenquimatosas que podem alcançar mais de 50 m) e que vivem na maioria dos ambientes terrestres, especialmente em águas salgadas ou doces, algumas adaptadas a extremos de temperatura (muitas espécies têm grande importância econômica como alimento e para a produção de fertilizantes, fibras, agar, potassa e iodo).

algébrica: em matemática - relativo ou pertencente à álgebra; algebraico.

algia: dor num órgão ou numa região do corpo, sem corresponder à lesão anatômica.

alucinógeno: que ou o que provoca alucinações artificiais ou estados eufóricos patológicos (diz-se de droga, planta, produto ou substância sólida ou líquida, como ácido lisérgico, maconha, mescalina, etc.).

alvéolos pulmonares: consistem de bolsas de paredes finas que proporcionam conjuntamente uma superfície respiratória representando grande área total, apresentando representando barreira mínima para as trocas gasosas entre o ar e o sangue dos capilares que estão em íntima associação com a superfície de revestimento. As paredes alveolares são constituídas por um fino revestimento epitelial situado sobre uma camada de tecido conjuntivo.

ambiente interno: v. líquido extracelular; = meio interno.

amenorréia: ausência de menstruação ou menorréia ou fluxo menstrual.

amielínica: sem bainha de mielina (v. mielina).

amina: em química: classe nitrogenada de compostos orgânicos que se deriva da amônia pela substituição (total ou parcial) dos hidrogênios por radicais alquila ou arila; amino.

aminoácido: molécula orgânica que contém pelo menos um grupamento amina e um grupamento carboxila. Os aminoácidos são os componentes das proteínas.

amônia: o mesmo que hidróxido de amônia (v.).

amoniacal: em química - relativo a ou próprio de amoníaco que contém amoníaco ou suas propriedades.

amoníaco: em química: gás incolor e com odor característico (NH3) usado na fabricação de fertilizantes, fluido de refrigeração, catalisador, síntese orgânica etc.; álcali volátil.

anabólico: relativo ao anabolismo.

anabolismo: em bioquímica - fase do metabolismo concernente às reações de biossíntese (produção de compostos químicos por seres vivos) e dependente de energia dos componentes celulares a partir de moléculas precursoras menores e mais simples; em fisiologia - conjunto de fenômenos metabólicos em que, depois de simplificadas pela digestão, as substâncias são recompostas e incorporadas nas células; assimilação.

anafilaxia: em imunologia: estado de um ser vivo que, sensibilizado pela introdução de um antígeno em seu organismo, se torna propenso a reagir violentamente a uma nova dose, ainda que mínima, deste mesmo antígeno (reação direta) ou de outros antígenos (reação cruzada).

analgesia: em medicina: perda ou ausência de sensibilidade à dor, que pode ser induzida por substâncias químicas, devida a lesões neurológicas, vasculares ou, ainda, a problemas psicológicos; analgia; em anestesiologia: condição em que se percebem estímulos dolorosos, que não são interpretados como dor, geralmente acompanhada de sedação sem perda da consciência.

analgésico: relativo a analgesia; em farmacologia: que ou o que diminui ou suprime a dor (diz-se de substância ou medicamento).
anatom(i/o)-: antepositivo, do grego anatomê,ês 'incisão de baixo ao alto, ao longo de' (do grego aná 'ao alto, de baixo ao alto, através, de volta' e o radical de tom(o)- 'corte, separação', ver); ocorre em derivados ou compostos da terminologia anatômica, alguns originalmente gregos, outros, em maioria, do séc. XIX em diante: anatomia, anatômico, anatomismo, anatomista, anatomístico, anatomização, anatomizado, anatomizador, anatomizar, anatomizável, anatomocirurgia, anatomoclínica, anatomofisiologia, anatomofuncional, anatomopatologia, anatomozoológico.

ancôneo: músculo que se situa na face lateral do cúbito ('cotovelo') com origem no epicôndilo lateral do úmero; anconeu.

anconeu: v. ancôneo.

andrógeno: diz-se do fator que ou o que produz machos ou que estimula caracteres masculinos.

anestesia: em medicina: suspensão geral ou parcial da sensibilidade, que pode ser espontânea, em decorrência de problemas neurológicos, ou induzida por um agente anestésico; em anestesiologia: ato, processo e efeito de anestesiar; em farmacologia: anestésico; em sentido figurado: estado de impassibilidade, apatia, desinteresse.

anestesia em sela: referência a um tipo de anestesia relacionando-se, anatomicamente, à região do períneo, inguinal e pubiana por lesão do cone medular ou cauda eqüina (raízes sacrais e coccígeas). Com freqüência, devida à lesão do cone medular ou cauda eqüina.

anestésico: em farmacologia: que ou o que diminui ou elimina a sensibilidade (diz-se de substância, produto, medicamento etc).

anestesiologia: especialidade médica que se dedica ao estudo e pesquisa de anestésicos e de áreas correlatas, como ressuscitação, assistência respiratória intensiva e dor.

aneurisma: dilatação anormal, localizada, de um vaso sangüíneo, em especial de uma artéria; ectasia arterial.

angiologia: parte da anatomia que estuda o coração e os vasos sangüíneos e linfáticos: ramo da medicina que estuda as doenças vasculares e seu tratamento; estudo dos vasos sangüíneos e linfáticos.

angiologista: especialista em angiologia; angiólogo.

angiotensina: família de substâncias peptídicas vasoativas liberadas pela ação de uma enzima (renina), a partir do angiotensinogênio, produzido pelo fígado. Forma-se primeiro a angiotensina I (ou proangiotensina, um decapeptídio não-hipertensor) que depois é convertida em angiotensina II (um octapeptídio) e em angiotensina III, vasoconstritores que elevam a pressão arterial. As angiotensinas são destruídas por outras enzimas, as angiotensinases.

angiotensinogênio: polipeptídio fabricado pelo fígado, com 60 kDa, que, quando cindido na circulação pela renina, enzima segregada pelo rim ao cair o volume ou a pressão de filtração renal, libera a angiotensina I.

angústia: estado de ansiedade, inquietude; sofrimento, tormento. Em psicologia: estado de excitação emocional determinado pela percepção de sinais, por antecipações mais ou menos concretas e realistas, ou por representações gerais de perigo físico ou de ameaça psíquica; medo sem objeto determinado.

Em
psicanálise: reação do organismo a uma excitação impossível de ser assimilada, desencadeada pelo bloqueio da consecução da finalidade de uma pulsão (p.ex., a frustração do orgasmo) ou pela ameaça de perda de um objeto investido por uma pulsão (p.ex., a perda de um ser amado).

anorexia: falta ou perda de apetite.

anóxia: em patologia - ausência de oxigênio no ar, no sangue arterial ou nos tecidos.

anquilosante: anquilosante 636: que causa anquilose, que imobiliza; ancilosante.

anquilose: em ortopedia - imobilidade e consolidação de uma articulação; acampsia; ancilose.

ansiedade: em psicopatologia – estado afetivo penoso, caracterizado pela expectativa de algum perigo que se revela indeterminado e impreciso, e diante do qual o indivíduo se julga indefeso; grande mal estar físico e psíquico; desejo veemente e impaciente.

antagonista: que ou o que age em sentido oposto; opositor; que ou aquele que é contra alguém ou contra alguma coisa; adversário; em anatomia geral - que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo); em odontologia - que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta); em farmacologia - que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.); relativo a antagonismo; em medicina - que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo).
antálgico: diz-se de algo que acalma a dor; p. ex.: uma posição antálgica ou um medicamento antálgico.

anterior: em anatomia, significa mais próximo da frente do corpo.

anticoagulante: em farmacologia: que ou o que evita a coagulação, especialmente do sangue (diz-se de substância).

anticolinérgico: em farmacologia: que ou o que se opõe ou bloqueia a ação fisiológica da acetilcolina (diz-se de agente).

anticorpo: proteína do soro sangüíneo segregada pelos linfócitos reação à entrada no organismo de uma substância estranha (antígeno, imunoglobulina.

antiespasmódico: em farmacologia: que ou o que combate espasmos (diz-se de substância ou medicamento); antispástico.

antígeno: partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico; substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.

antiofídico: em farmacologia: que ou o que combate o veneno de cobras (diz-se de substância).

antipartícula: em física nuclear - partícula cuja totalidade ou alguns de seus números quânticos têm valores opostos aos de uma outra partícula de mesma massa.

antiquark: em física de partículas elementares - antipartícula do quark.

antraz: em infectologia: zoonose que acomete sobretudo ovinos, eqüinos e caprinos, adquirida diretamente pela ingestão de pasto contaminado por Bacillus anthracis ou seus esporos, e indiretamente adquirida por carnívoros a partir de carcaças infectadas; antraz (transmitido ao homem geralmente pelo contato com animais infectados ou com seus dejetos, pela ingestão de produtos animais contaminados, ou ainda pela inalação dos esporos, o antraz é classificado, segundo a forma de contágio, como cutâneo, gastrintestinal ou pulmonar) ; em dermatologia: infecção extensa e profunda da pele e dos tecidos subjacentes, geralmente estafilocócica e freqüentemente localizada na nuca ou nas costas, com numerosos abscessos irregulares, intercomunicantes e coalescentes, alguns dos quais vazam através de múltiplas e extensas aberturas; carbúnculo.

anucleado: desprovido de núcleo (diz-se de célula).

aorta: redução de artéria aorta.

apêndice xifóide: apêndice que constitui a extremidade inferior do esterno e que possui a forma de espada.

apendicular: referente a apêndice; que não é essencial ao todo a que pertence; acrescentar como apêndice; fazer terminar em apêndice; referente a algum membro do corpo.

apetite: em fisiologia: sensação interna que torna necessário o exercício de certas funções, especialmente a genésica e a digestiva. Em psicologia: desejo intenso que tem um objeto preciso e procede de necessidades biológicas (p.ex., a fome) ou de representações guiadas por um interesse.

aponeurose: membrana esbranquiçada, luzidia, fibrosa e resistente que envolve músculos, terminando-os, em certos casos, à guisa de tendão, isto é, como um tendão.

aponeurótico: relativo a aponeurose.

aponevrose: forma não preferencial de aponeurose.

aponevrótico: forma não preferencial de aponeurótico; relativo a aponeurose.

aquileu: o mesmo que aquiliano; em anatomia: relativo ao tendão de Aquiles.

aquiliano: relativo a Aquiles, herói lendário da antiga Grécia e personagem da Ilíada, de Homero (poeta grego que teria vivido entre 1.100 a.C. e 900 a.C.); aquileu.

arácnidos: classe de artrópodes quelicerados, cosmopolita, que reúne 50.000 espécies, distribuídas em 11 ordens, vulgarmente conhecidos por aranhas, ácaros e escorpiões; caracterizam-se pela presença de quatro pares de patas e um par de palpos, pelo corpo dividido em cefalotórax e abdome e pela ausência de antenas.

aracnóide: diz-se de ou membrana serosa, delgada e transparente que envolve o cérebro e a medula espinhal, situando-se entre a dura-máter e a pia-máter; que se assemelha a uma aranha ou à sua teia; aranhoso, aranoso. Em micologia: que é constituído por hifas entrelaçadas de modo frouxo, apresentando grandes espaços vazios (diz-se de micélio).

aracnoidite: inflamação da membrana aracnóide.

arritmia: ausência de regularidade no ritmo; variação acentuada do ritmo.

arritmia cardíaca: irregularidade e desigualdade das contrações cardíacas.

artelho: em anatomia geral: articulação; junta de ossos; pododáctilo (p. ex.: primeiro artelho, quinto artelho).

artéria: em anatomia geral: vaso que transporta sangue oxigenado do coração para o resto do corpo, exceto para os pulmões.

artéria aorta: grande artéria que nasce no ventrículo esquerdo do coração e que, por meio de suas ramificações, distribui sangue arterial a todas as partes do organismo.

artéria pulmonar: em anatomia geral: a única artéria que transporta sangue saturado de gás carbônico, indo do ventrículo direito para os pulmões.

arteríola: vaso sangüíneo de pequeno diâmetro que faz a ligação entre uma artéria e um capilar.

arteriosclerose: em angiologia: doença degenerativa da 974artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzida por hipertensão arterial de longa duração ou pelo aumento da idade.

articulação sinovial: v. diartrose.

artrite: inflamação de uma articulação.

artrite degenerativa: degeneração da cartilagem articular que pode ser primária, ou devida a trauma e afecções; osteoartrite.

artrite reumatóide: em ortopedia, reumatologia: doença crônica de causa desconhecida, cujos sintomas e processos de modificação do tecido conjuntivo se manifestam especialmente nas articulações, e caracterizada por dores, inflamação, limitação dos movimentos e deformação ou mesmo destruição das articulações; artrite deformante, artrite nodosa.

artródia: articulação de dois ossos em pouco ou em nada arredondados na sua junção; articulação plana.

artropatia: qualquer afecção articular.

artrópode: filo de animais invertebrados, que se caracteriza pela presença de corpo segmentado, membros locomotores articulados em número par e exoesqueleto quitinoso; os crustáceos, insetos, diplópodes, quilópodes e arácnidos são as principais classes componentes. Contém mais de 75% das espécies animais descritas.

artrose: v. osteoartrose

ascomiceto: em micologia - espécime dos ascomicetos; ascomicete; classe de fungos dotados de micélio pluricelular, membrana quitinosa, células uninucleadas ou multinucleadas e esporângios chamados de ascos, responsáveis pela produção dos esporos sexuais; ascomicetes.

asma: afecção caracterizada por crises de dispnéia paroxística sibilante, acompanhadas de edema e hipersecreção das mucosas das vias aéreas, que ocorre em virtude de súbita contração dos músculos que comandam a abertura e fechamento dos brônquios, frente a diversos estímulos que produzem inflamação e espasmo brônquico; asma brônquica.

asma brônquica: v. asma

atermia: ausência de calor.

atérmico: relativo à atermia.

ateroma: em patologia: depósito lipídico na superfície interna das paredes das artérias.

aterosclerose: em angiologia: tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de 993ateroma sobre a parede das 974 artérias.

atividade aeróbica: atividade física em presença de oxigênio.

atropina: em farmacologia: alcalóide (C17H23NO3) encontrado em plantas da família das solanáceas (Atropa), entre as quais a beladona, é usada em medicina como midriático, anticolinérgico e antiespasmódico.

autacóides: termo genérico que se refere a um grupo de substâncias diversas, tendo em comum apenas sua atividade farmacológica importante e sua presença no organismo, onde desempenha função a distância do lugar de produção e oferece dificuldade para classificar-se quer entre os hormônios, quer entre os neurotransmissores.

autotrófico: que é capaz de produzir seu próprio alimento, a partir de compostos inorgânicos e com utilização de uma fonte de energia (diz-se de organismo).

axial: relativo a eixo; que tem forma de eixo; axiforme; que opera como eixo, que divide ao meio.

axônio: prolongamento único de uma célula nervosa, por onde se transmite o influxo nervoso; neuroaxônio, cilindro-eixo.

voltar ao topo

Todos os direitos e imagens reservados - Clínica de fraturas Zona Norte | Design by Midhaus