1. Qual o papel do ombro em relação a extremidade superior como um todo?
Durante a evolução do ser humano, o ombro foi se adaptando à posição plantígrada adotada pelo homem, transformando-se em uma estrutura bastante complexa. O ombro sustenta todo o membro superior e, ao mesmo tempo, serve de base a partir da qual a extremidade superior pode funcionar como um órgão preênsil. Ao mesmo tempo, coloca a mão do homem em, praticamente, qualquer lugar do espaço que ele deseje. Permite também que o membro superior levante grandes pesos e também os sustente, tanto abaixo como acima do plano horizontal que passe por ele.

2. Qual a importância da relação que o ombro tem com os movimentos das extremidades inferiores, pelve e tronco?
Essa associação faz com que o braço (e o restante do membro superior) possa arremessar objetos, a partir do tronco, com velocidade e força, tanto abaixo como acima do plano horizontal. É bom lembrar que todos os movimentos do membro superior necessitam de uma base estável e, muitos desses movimentos, são efetuados com grande força. Os mecanismos especializados e intrínsecos do ombro dão essa condição.

3. Do ponto de vista funcional, quais as articulações que compõem a articulação do ombro?
Do ponto de vista funcional, a chamada cintura escapular é responsável pelo mecanismo braço-tronco. Essa articulação, do ponto de vista anatômico e, principalmente, do ponto de vista funcional, é composta de quatro articulações:
1) glenoumeral [v. glen(o)-]
2) acromioclavicular [v. acromi(o)-]
3) esternoclavicular [v. estern(i/o)-]
4) escapulotorácica [v. escapul(o)-]

4. Porque a articulação do ombro é a que apresenta maior amplitude de movimento e mobilidade no corpo humano?
Deve-se essa amplitude às três articulações diartrodiais (v. artródia)– glenoumeral, acromioclavicular e esternoclavicular – em combinação com uma articulação plana entre a escápula e o gradeado costal (mais especificamente, está separada do tórax pelo músculo serrátil anterior), a escapulotorácica - na verdade, não considerada como uma articulação verdadeira.

5. O que é o ritmo escapuloumeral e para que serve?
É o movimento coordenado, complexo, envolvendo grupos musculares que agem sobre diversos ossos e articulações da região do ombro. É importante para avaliar-se a função do ombro.

6. Com relação ao ritmo escapuloumeral, o que acontece quando se pede ao paciente para que eleve o braço acima da horizontal?
Durante a elevação num plano frontal, o úmero é rodado lateralmente; de outro modo o tubérculo maior entraria em contato com o acrômio. Se a rotação lateral é evitada, a elevação é limitada e a paralisia dos rotadores laterais pode simular o enfraquecimento da elevação. A abdução verdadeira, no plano da escápula, não envolve rotação umeral. A importância da rotação lateral na elevação pode ser testada como se segue: com os braços pendentes aos lados, flexionar os antebraços num plano sagital até que os dedos apontem para diante (cerca de 90º de flexão). A seguir, abduzir ambos os braços num plano frontal. Será difícil ou impossível elevá-los muito acima da horizontal; o tubérculo maior, então, justapõe-se ao acrômio e ao ligamento coracoacromial. Em seguida, rodar os braços de modo a fazer com que os dedos apontem para cima; a elevação até a vertical pode ser, agora, efetuada.

7. Qual é o papel da articulação escapulotorácica na movimentação do ombro?
É uma estrutura plana, triangular, com uma borda medial delgada. Está localizada na parede póstero-lateral do tórax, dentro de uma massa muscular de várias camadas e que pode movimentar-se em todas as direções. Essencialmente, a escápula é uma estrutura óssea flutuante, livre, exceto por suas inserções com o ligamento coracoclavicular (com a clavícula) e sua articulação acromioclavicular (idem). Mesmo nestes pontos, tem uma margem relativamente livre de movimento – pode mover-se para cima, para baixo, medial e lateralmente e também rodar em qualquer sentido sobre a parede torácica. Através de seus mecanismos musculares intrínsecos, a escápula funciona com uma base tanto estável como móvel para a extremidade superior (ver perguntas e respostas 1 e 2 e 6 acima).

8. Como se dá a suspensão do ombro acima da clavícula?
Às custas de um potente sistema de músculos elevadores, composto pelo trapézio, o esternocleidomastóideo e músculo levantador da escápula. As funções do trapézio são as mais complicadas e, hipoteticamente, esse músculo pode ser dividido em 3 partes: superior, média e inferior. Atuando como uma só unidade (as três partes em conjunto), sustém e mantém o ombro para trás. O segmento superior, junto com o levantador da escápula, eleva o ombro (movimento típico de “dar de ombros”). Esse mesmo segmento, junto com as fibras médias, leva a cintura para cima e para dentro. A porção média também participa na elevação do braço fixando a escápula contra a caixa torácica. O trapézio tem também o papel principal na rotação da escápula ao redor da parede torácica durante a circundução do braço.

9. O que é a chamada articulação esternoclavicular?
É uma articulação sinovial formada pela extremidade esternal da clavícula, isto é, extremidade que se articula com o osso esterno, que se fixa à porção lateral e posterior do manúbrio do esterno e à cartilagem da primeira costela.

10. O que é a articulação acromioclavicular?
A articulação acromioclavicular tem uma forma plana ou ligeiramente oval e está situada entre a extremidade distal da clavícula e a borda medial do acrômio. É uma articulação sinovial, tendo, internamente um menisco fibrocartilaginoso, que, com freqüência está ausente.

11. Qual a importância dessa articulação como causa de patologias relacionadas ao ombro?
Tem sido descritas formas variáveis de acrômio no plano sagital (plano, curvo e gancho), destacando-se as formas em "gancho", que estariam relacionadas com as lesões do manguito dos rotadores. A partir do estudo dessas formas, tipo gancho, apareceram técnicas cirúrgicas que modificam essa forma, aplainando o acrômio e aumentando o espaço chamado subacromial, isto é, o espaço entre o acrômio e o manguito dos rotadores, logo abaixo.

12. Como se dá a suspensão abaixo da clavícula?
Tanto a escápula quanto o braço estão suspensos abaixo da clavícula pelo ligamento coracoclavicular, ligamentos coracoumeral a capsular, o manguito rotador e o m. deltóide.

13. Por que a articulação do ombro é a mais sujeita ao deslocamento?
O ombro é a articulação do corpo humano que apresenta maior grau de mobilidade. Em virtude de sua grande mobilidade, os componentes estáticos e dinâmicos que asseguram a estabilidade, assumem grande importância (em termos práticos, é o que se denomina de “partes moles” e as outras estruturas ósseas). Em decorrência dessa mobilidade, a articulação do ombro é a que apresenta maior predisposição ao deslocamento.


Todos os direitos e imagens reservados - Clínica de fraturas Zona Norte | Design by Midhaus