1. O que é uma bursa ou bolsa sinovial?
É uma cavidade em um espaço potencial que tem a finalidade de facilitar o deslizamento de um tecido sobre o outro. Ocasionalmente, uma bursa pode comunicar-se com uma articulação adjacente.

2. Qual a origem da palavra bursa?
Do latim bursa,ae 'bolsa, receptáculo, mercado de bens e moedas', do grego búrsa,és 'pele curtida, couro, odre para vinho', dá origem ao português borsa, modulando para. bolsa no séc. XVI 'bolsa, saco (que contém dinheiro)'; no português a alternância -rs- > -ls- tem sido explicada como hiperurbanismo, e no espanhol pela raridade do grupo -rs-, quase inexistente no castelhano primitivo.

3. Quantas bursas existem no corpo humano?
São 78 bursas em cada lado do corpo humano.

4. Existe a possibilidade de formação de novas bursas?
Sim. A maioria se diferencia como tal durante o desenvolvimento, mas novas bursas podem formar-se em resposta a stresses, à inflamação ou a trauma.

5. Quais as bursas (ou bolsas) existentes na articulação do ombro?
1) uma entre o tendão do músculo subescapular e a cápsula articular, comunicando-se com a articulação através de uma abertura entre os ligamentos gleno-umerais superior e médio;
2) outra separa algumas vezes o tendão do músculo infra-espinhal e a cápsula articular (ocasionalmente abre-se na articulação);
3) a bolsa subacromial, que se encontra entre o músculo deltóide e a cápsula; não se comunica com a articulação, mas é prolongada sob o acrômio e o ligamento coracoacromial, entre elas e o supraespinhal;
4) outra na superfície superior do acrômio;
5) outra é freqüentemente encontrada entre o processo coracóide [v. corac(i/o)] e a cápsula;
6) algumas vezes existe uma atrás do coracobraquial;
7) outra entre o redondo maior e a porção longa do tríceps;
8) uma na frente e outra atrás do tendão do grande dorsal.

6. O que é bursite?
É a condição em que a bursa se torna inflamada ou infectada.

7. Qual a bursa que mais freqüentemente pode sofrer processo inflamatório no ombro, onde e qual é o quadro clínico?
É a bursa subacromial. Quadro clínico:
1) dor à movimentação ativa do braço, especialmente abdução acima de 90º (movimento tais como pentear o cabelo ou alcançar algo com os braços atrás da cabeça);
2) diminuição ou ausência de dor com movimento passivo;
3) ausência de edema, eritema ou calor na articulação do ombro;
4) sensibilidade dolorosa local quando a área da bursa é palpada;
5) piora da dor com resistência à abdução.


Todos os direitos e imagens reservados - Clínica de fraturas Zona Norte | Design by Midhaus